GUIA DE PROFISSÃO- JORNALISMO:

Mercado de Trabalho

O mercado para o profissional encontra-se estável. “Houve um momento de explosão, nas últimas décadas, com a moda dos portais. Mas o mercado foi gradativamente se acomodando”, diz Rodolfo Carlos Martino, coordenador do curso de Jornalismo da Metodista de São Paulo. Algumas das especializações que demandam mais profissionais são meio ambiente, ciência e economia. Para conquistar uma vaga, o bacharel tem de entender a linguagem da internet e das redes sociais, como Twitter e Facebook. As oportunidades estão em portais, revistas on-line, blogs e sites de empresas, em geral. A comunicação corporativa ou empresarial costuma oferecer maiores oportunidades de trabalho. “A expansão da economia e a profissionalização empresarial, que passa a ser um fator pesado de concorrência, têm reflexo imediato no investimento que as empresas fazem em comunicação”, afirma Ernane Rabelo, coordenador do curso de Jornalismo da UFV. O diploma não é mais obrigatório, mas as empresas de comunicação ficaram mais exigentes na hora de contratar jornalistas. Dessa forma, ter uma formação superior é um ponto positivo no currículo. São Paulo, por concentrar grande número de editoras e jornais, oferece o maior número de vagas. No Rio de Janeiro, o mercado deve ficar aquecido nos próximos anos com a realização da Copa do Mundo – a cidade abrigará o Centro de Imprensa do torneio – e das Olimpíadas de 2016. Centro-Oeste, Norte e Nordeste, que apresentam bom ritmo de crescimento, apresentam também boas oportunidades. Além de trabalharem com carteira assinada, muitos jornalistas atuam como prestadores de serviços, ou freelancers.

Salário inicial: R$ 2.076,00 (5 horas diárias em jornais ou revistas da capital); R$ 2.337,83(assessoria de imprensa na capital); fonte: Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.

Curso

As disciplinas básicas são língua portuguesa, economia, teoria da comunicação, filosofia, história da arte e sociologia. Matérias específicas também compõem o currículo, como jornalismo interpretativo e informativo, técnicas de redação e edição de texto, novas tecnologias de comunicação e design gráfico. Há aulas práticas de fotojornalismo, jornalismo impresso e on-line, rádio e TV. Na grande maioria das escolas, o curso é oferecido como habilitação do curso de Comunicação Social. Os alunos precisam apresentar um trabalho de conclusão de curso para receber o diploma. Já o estágio, embora não seja obrigatório, é recomendável, pois pode abrir portas no mercado de trabalho. Atenção: alguns cursos têm ênfase específica, como multimídia (UNA-MG), multimeios (Uneb- BA) e negócios (veja abaixo). Já a Uespi oferece dupla habilitação, em Jornalismo e Relações Públicas.

Duração média: quatro anos.

 

O que você pode fazer

Comunicação digital multimídia
Criar, montar, implantar e cuidar da manutenção de websites, intranets e extranets. Redigir e editar boletins e revistas eletrônicas. Administrar conteúdos na internet.

Comunicação empresarial
Promover o contato entre determinada organização com a imprensa e outros públicos-alvo, como funcionários, fornecedores, clientes, governo, entidades, a fim de divulgar o nome da empresa, seus valores e produtos.

Edição
Definir o enfoque e o tamanho da reportagem e escrever o texto final. Em veículos impressos e na internet, selecionar fotos e ilustrações que serão usadas. Em rádio e tV, combinar imagens e/ou sons numa mesma fita para dar forma final a documentários e noticiários.

Fotojornalismo
Fotografar cenas reais, pessoas e acontecimentos para reportagens em jornais, revistas ou internet.

Reportagem
Coletar informações e redigir textos para divulgação em rádio, televisão, jornais, revistas ou internet. [fonte: guia do estudante]

Anúncios

Guia de Profissão- Moda:

No mercado há 28 anos, a professora Raquel Valente, coordenadora do curso de Moda da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, sabe que a profissão desperta fantasias em quem está decidindo a carreira que vai seguir. “Muitos estudantes acham que fazer moda é apenas o glamour da passarela, mas logo descobrem que é uma profissão como outra qualquer, com todas as dificuldades e recompensas”, diz.[fonte: terra] Segundo a estilista Teca Pasqua, que organiza o NOVO Expressão Moda, projeto voltado para novos profissionais, “moda está na moda”: Para ela, a faculdade é importante para dar uma base, mas ela não garante a entrada no mercado de trabalho nem dá ao estudante um diferencial: “é importante ter uma base, mas depois disso, você tem que se desenvolver. Não adianta fazer artes se te impõem limites e é isso o que a faculdade faz. Na aula de desenho, por exemplo, existe um modelo a seguir
ao invés de te ensinarem a fazer os seus próprios.” [Fonte: Oba Oba]

  1. Habilitação: Bacharel em Moda
  2. Duração do Curso: 3 a 4 anos
  3. Area: Humanas
  4. Atributos do Profissional: Criatividade e Sensibilidade

O curso:
Curso de Moda focado em Arte / Estilismo: O foco do curso será arte, desenho e a criação de coleções de roupas, ideal para quem tem perfil sensível e criativo. O aluno também irá estudar muita teoria sobre a história da arte. É o curso de moda padrão, forma estilistas.
Curso de Moda focado em Gestão: O foco do curso será a gestão de negócios, gestão de pessoas e de marketing, ideal para quem gosta de moda e tem um espírito de liderança e independência. É o curso de moda para quem quer abrir uma empresa, boutique ou confecção.
Cursos de Moda Direcionados: Há também cursos de moda bem específicos para quem sabe exatamente onde quer trabalhar, como por exemplo curso de moda para o carnaval, onde o aluno vai estudar a aprender técnicas para desenhar alegorias ou então o curso de moda e fotografia.[Fonte: Guia de Carreira.]


De Olho nas tendências Mundiais

“Trabalho como fashion designer em uma confecção e sou o ponto de partida no processo de produção das peças. Começo o meu dia com a fase da pesquisa. Procuro saber quais são as tendências mundiais, leio sobre novos materiais, design e até mesmo sobre novela. Toda informação é válida e pode resultar em ideias e soluções. No momento de criar a peça, eu desenho a mão e depois passo para o computador. Gosto de ter os dois desenhos, para que a modelista não tenha dúvidas sobre como fazer a peça. Também defino aviamentos, tecidos e cor de linha, além de fazer a prova da peça-piloto para corrigir a modelagem e melhorar o produto final. Durante o dia, ainda preciso de tempo para atender representante , que trazem novos tecidos e materiais. O maior desafio é lidar com os problemas que surgem e encontrar alternativas para superá-los.” Pollyanna Ponte, 24 anos, de são josé do rio preto (SP) [Fonte: Guia do Estudante.]


Mercado De Trabalho
A indústria da moda continua crescendo e busca tanto bacharéis quanto tecnólogos para atender às mais diversas etapas da cadeia produtiva. De acordo com a Global Language Monitor, empresa de pesquisa de tendências, São Paulo ocupa a liderança na América Latina na lista de capitais da moda. No mundo, é a décima colocada. “É um mercado em constante evolução. Exportamos não só tendências, mas também as técnicas de desenvolvimento e produção de moda”, diz Sandra Pekal, coordenadora do bacharelado em Design de Moda do Centro Universitário Belas Artes, em São Paulo. Os segmentos de moda masculina, infantil, praia e de lingerie são
os mais carentes do profissional, que é chamado para trabalhar na área produtiva, de criação de estampas, desenvolvimento de coleções e produção. O planejamento e o gerenciamento de marcas com base em pesquisas de comportamento e consumo, a criação de tendências e a gestão de materiais também são setores fortes. A capital e o interior paulistas oferecem o maior número de vagas. Na Região Sul, malharias e indústrias de calçados costumam contratar os graduados. [Fonte: Guia do Estudante]

Grade Básica do Curso de Moda

  • Fotografia
  • Desenho Artístico
  • História da Arte
  • Estilismo
  • Marketing básico
  • Antropologia
  • Técnicas de Ourivesaria ( produção de jóias )
  • Psicologia básica
  • Técnicas práticas de corte e costura
  • Desfile e Modelismo Especializações da Carreira em Moda

Especializações da Carreira em Moda

Dependendo do perfil do profissional ele pode optar pelas seguintes especializações dentro da carreira de moda:

  •  Personal Stylist: O profissional de moda personal stylist trabalha ajudando clientes específicos ( artistas, cantores, atores, modelos, etc… ) cuidando da imagem e do estilo pessoal do cliente. O personal stylist cria e combina roupas de acordo com a personalidade e tipo físico do artista garantindo que ele sempre esteja na moda.
  •  Consultor de Moda para Lojas: O profissional de moda que trabalha como consultor de lojas presta consultoria para boutiques decidindo quais roupas e quais coleções comprar para vender, tudo de acordo com o tipo da loja e o tipo de público.
  •  Estilista: O estilista, considerado por alguns o principal profissional de moda, trabalha criando e desenhando novas coleções de roupas, lançando sempre novas tendências para a Primavera, Verão, Outono e Inverno.
  • Fotografo de Moda: O fotografo de moda é o profissional de fotografia especilizado em produzir fotos de modelos masculinos e femininos. Ele pode trabalhar produzindo ensaios para revistas de moda, catálogos, anúncios de publicidade e até mesmo revistas masculinas.
  • Produtor de Desfiles: O produtor de desfiles atua como o grande gerente e responsável pela organização dos desfiles de moda cuidando de detalhes tais como organização do espaço, transporte de equipamentos e modelos e também a contratação dos outros profissionais tais como os fotógrafos.
  • Escritor de Moda: O escritor de moda atua acompanhando as tendências mundiais de moda e escrevendo matérias para revistas ou então blogs.[Fonte: Guia de carreira.]

Salário inicial: a partir de R$ 1.000,00 (assistente de estilo); R$ 2.500,00 (estilista); fonte: profa. Valeska Fonseca Nakad, do Belas Artes. [Fonte: Guia do Estudante]

Carreira em Moda: Aspectos Favoráveis

Além dos trabalhos tradicionais como estilista, a demanda por consultores de moda está crescendo bastante devido a expansão e sofisitacação do mercado Brasileiro.
Artistas, políticos e personalidades estão também procurando muito por personal stylists, hoje em dia é praticamente obrigatório que cada artista tenha o seu.
A cidade de São Paulo, o grande polo da moda Brasileiro, atualmente é o local com maior número de vagas para profissionais de moda graduados.

Carreira em Moda: Aspectos Desfavoráveis

O grande aspecto desfavorável da carreira de moda é o mesmo aspecto que persegue todas as carreiras artísticas: não há sucesso e fama suficientes para todos os
profissionais, somente alguns vão passar a ser reconhecidos e ganhar rios de dinheiro.
Outro aspecto desfavorável é a grande competição na carreira de estilista, o profissional tem que ter muito estilo, criatividade, personalidade e trabalhar duro para
garantir o seu lugar ao sol.[Fonte: Guia de carreira.]