GUIA DE PROFISSÃO- JORNALISMO:

Mercado de Trabalho

O mercado para o profissional encontra-se estável. “Houve um momento de explosão, nas últimas décadas, com a moda dos portais. Mas o mercado foi gradativamente se acomodando”, diz Rodolfo Carlos Martino, coordenador do curso de Jornalismo da Metodista de São Paulo. Algumas das especializações que demandam mais profissionais são meio ambiente, ciência e economia. Para conquistar uma vaga, o bacharel tem de entender a linguagem da internet e das redes sociais, como Twitter e Facebook. As oportunidades estão em portais, revistas on-line, blogs e sites de empresas, em geral. A comunicação corporativa ou empresarial costuma oferecer maiores oportunidades de trabalho. “A expansão da economia e a profissionalização empresarial, que passa a ser um fator pesado de concorrência, têm reflexo imediato no investimento que as empresas fazem em comunicação”, afirma Ernane Rabelo, coordenador do curso de Jornalismo da UFV. O diploma não é mais obrigatório, mas as empresas de comunicação ficaram mais exigentes na hora de contratar jornalistas. Dessa forma, ter uma formação superior é um ponto positivo no currículo. São Paulo, por concentrar grande número de editoras e jornais, oferece o maior número de vagas. No Rio de Janeiro, o mercado deve ficar aquecido nos próximos anos com a realização da Copa do Mundo – a cidade abrigará o Centro de Imprensa do torneio – e das Olimpíadas de 2016. Centro-Oeste, Norte e Nordeste, que apresentam bom ritmo de crescimento, apresentam também boas oportunidades. Além de trabalharem com carteira assinada, muitos jornalistas atuam como prestadores de serviços, ou freelancers.

Salário inicial: R$ 2.076,00 (5 horas diárias em jornais ou revistas da capital); R$ 2.337,83(assessoria de imprensa na capital); fonte: Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.

Curso

As disciplinas básicas são língua portuguesa, economia, teoria da comunicação, filosofia, história da arte e sociologia. Matérias específicas também compõem o currículo, como jornalismo interpretativo e informativo, técnicas de redação e edição de texto, novas tecnologias de comunicação e design gráfico. Há aulas práticas de fotojornalismo, jornalismo impresso e on-line, rádio e TV. Na grande maioria das escolas, o curso é oferecido como habilitação do curso de Comunicação Social. Os alunos precisam apresentar um trabalho de conclusão de curso para receber o diploma. Já o estágio, embora não seja obrigatório, é recomendável, pois pode abrir portas no mercado de trabalho. Atenção: alguns cursos têm ênfase específica, como multimídia (UNA-MG), multimeios (Uneb- BA) e negócios (veja abaixo). Já a Uespi oferece dupla habilitação, em Jornalismo e Relações Públicas.

Duração média: quatro anos.

 

O que você pode fazer

Comunicação digital multimídia
Criar, montar, implantar e cuidar da manutenção de websites, intranets e extranets. Redigir e editar boletins e revistas eletrônicas. Administrar conteúdos na internet.

Comunicação empresarial
Promover o contato entre determinada organização com a imprensa e outros públicos-alvo, como funcionários, fornecedores, clientes, governo, entidades, a fim de divulgar o nome da empresa, seus valores e produtos.

Edição
Definir o enfoque e o tamanho da reportagem e escrever o texto final. Em veículos impressos e na internet, selecionar fotos e ilustrações que serão usadas. Em rádio e tV, combinar imagens e/ou sons numa mesma fita para dar forma final a documentários e noticiários.

Fotojornalismo
Fotografar cenas reais, pessoas e acontecimentos para reportagens em jornais, revistas ou internet.

Reportagem
Coletar informações e redigir textos para divulgação em rádio, televisão, jornais, revistas ou internet. [fonte: guia do estudante]

Anúncios

Guia de profissão- Psicologia:

O que é?

É o estudo dos fenômenos psíquicos e do comportamento do ser humano por intermédio da análise de suas emoções, suas ideias e seus valores. O psicólogo diagnostica, previne e trata doenças mentais, distúrbios emocionais e de personalidade. Ele observa e analisa as atitudes, os sentimentos e os mecanismos mentais do paciente e procura ajudá-lo a identificar as causas dos problemas e a rever comportamentos inadequados. Esse profissional atua em consultórios, em hospitais e nas mais variadas instituições de saúde, como clínicas estéticas e spas, contribuindo, do ponto de vista psicológico, para a recuperação da saúde das pessoas. Em escolas e instituições, colabora na orientação educacional. Em empresas, participa da seleção e do treinamento de pessoal e promove programas de adaptação dos funcionários. Também elabora, aplica e analisa pesquisas de mercado para o departamento de marketing. Pode atuar, ainda, em consultorias de RH e colocação profissional, instituições judiciárias, presídios, instituições de reabilitação e clubes de esporte. É necessário registrar-se no Conselho Regional de Psicologia para exercer a profissão.

E como está o mercado de Trabalho?

A resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que aumenta de 24 para 40 o número de sessões com psicólogos que devem ter cobertura dos planos de saúde melhora o mercado na área clínica, em especial nos grandes centros urbanos. “A psicologia jurídica também cresce, bem como a contratação do profissional no departamento de recursos humanos das empresas”, diz Adriana Bernardes Pereira, coordenadora do bacharelado em Psicologia da PUC-Goiás. “O setor público também absorve uma parte dos profissionais, que trabalham nas secretarias de Educação, Esporte e Saúde.” Ainda no setor público, o psicólogo pode participar de equipes multidisciplinares dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), ambos integrantes do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. No segmento educacional, o psicólogo é demandado por diferentes instituições, como escolas, creches e ONGs. As regiões Sudeste e Sul concentram o maior número de oportunidades de trabalho.
Salário inicial: R$ 1.815,00 (fonte: Sindicato dos Psicólogos no Estado de São Paulo); R$ 122,00 (por consulta); fonte: Conselho Regional de Psicologia de São Paulo.

Curso:

O curso aborda as diversas correntes da psicologia e introduz o aluno em várias áreas, como psicologia clínica, social, escolar e organizacional. Há disciplinas obrigatórias, como neurologia, antropologia, teoria psicanalítica e psicologia do desenvolvimento, e optativas, como psicologia do excepcional e problemas de aprendizagem. As novas diretrizes também passam a valorizar mais as disciplinas de pesquisa e o estágio (obrigatório) em várias áreas. Algumas instituições possibilitam aos alunos realizar atendimentos à comunidade em diversas áreas, como clínica e orientação profissional.

Duração média: cinco anos.

Outro nome: Psicomotricidade.

O que eu posso fazer? 

 

  • Psicologia clínica:  Atender pessoas que sofram de problemas emocionais. Essas intervenções podem ser individuais, em grupos, sociais ou institucionais.
  • Comportamento do consumidor: Estudar o comportamento de determinado grupo de consumidores, para orientar o marketing de empresas privadas e agências de publicidade.
  • Orientação profissional: Orientar estudantes na escolha do curso e da profissão a seguir.
  • Psicologia esportiva: Orientar atletas e prepará-los emocionalmente para atividades esportivas e competições. Maximizar o seu rendimento e promover a harmonia entre os membros de equipes e times.
  • Psicologia educacional: Ajudar pais, professores e alunos a solucionar problemas de aprendizagem. Colaborar na elaboração de programas educacionais em creches e escolas.
  • Neuropsicologia :Atua no diagnóstico, no acompanhamento, no tratamento e na pesquisa da cognição, das emoções, da personalidade e do comportamento sob o enfoque da relação entre esses aspectos e o funcionamento cerebral.

 

Fonte

Guia de Profissão- Moda:

No mercado há 28 anos, a professora Raquel Valente, coordenadora do curso de Moda da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, sabe que a profissão desperta fantasias em quem está decidindo a carreira que vai seguir. “Muitos estudantes acham que fazer moda é apenas o glamour da passarela, mas logo descobrem que é uma profissão como outra qualquer, com todas as dificuldades e recompensas”, diz.[fonte: terra] Segundo a estilista Teca Pasqua, que organiza o NOVO Expressão Moda, projeto voltado para novos profissionais, “moda está na moda”: Para ela, a faculdade é importante para dar uma base, mas ela não garante a entrada no mercado de trabalho nem dá ao estudante um diferencial: “é importante ter uma base, mas depois disso, você tem que se desenvolver. Não adianta fazer artes se te impõem limites e é isso o que a faculdade faz. Na aula de desenho, por exemplo, existe um modelo a seguir
ao invés de te ensinarem a fazer os seus próprios.” [Fonte: Oba Oba]

  1. Habilitação: Bacharel em Moda
  2. Duração do Curso: 3 a 4 anos
  3. Area: Humanas
  4. Atributos do Profissional: Criatividade e Sensibilidade

O curso:
Curso de Moda focado em Arte / Estilismo: O foco do curso será arte, desenho e a criação de coleções de roupas, ideal para quem tem perfil sensível e criativo. O aluno também irá estudar muita teoria sobre a história da arte. É o curso de moda padrão, forma estilistas.
Curso de Moda focado em Gestão: O foco do curso será a gestão de negócios, gestão de pessoas e de marketing, ideal para quem gosta de moda e tem um espírito de liderança e independência. É o curso de moda para quem quer abrir uma empresa, boutique ou confecção.
Cursos de Moda Direcionados: Há também cursos de moda bem específicos para quem sabe exatamente onde quer trabalhar, como por exemplo curso de moda para o carnaval, onde o aluno vai estudar a aprender técnicas para desenhar alegorias ou então o curso de moda e fotografia.[Fonte: Guia de Carreira.]


De Olho nas tendências Mundiais

“Trabalho como fashion designer em uma confecção e sou o ponto de partida no processo de produção das peças. Começo o meu dia com a fase da pesquisa. Procuro saber quais são as tendências mundiais, leio sobre novos materiais, design e até mesmo sobre novela. Toda informação é válida e pode resultar em ideias e soluções. No momento de criar a peça, eu desenho a mão e depois passo para o computador. Gosto de ter os dois desenhos, para que a modelista não tenha dúvidas sobre como fazer a peça. Também defino aviamentos, tecidos e cor de linha, além de fazer a prova da peça-piloto para corrigir a modelagem e melhorar o produto final. Durante o dia, ainda preciso de tempo para atender representante , que trazem novos tecidos e materiais. O maior desafio é lidar com os problemas que surgem e encontrar alternativas para superá-los.” Pollyanna Ponte, 24 anos, de são josé do rio preto (SP) [Fonte: Guia do Estudante.]


Mercado De Trabalho
A indústria da moda continua crescendo e busca tanto bacharéis quanto tecnólogos para atender às mais diversas etapas da cadeia produtiva. De acordo com a Global Language Monitor, empresa de pesquisa de tendências, São Paulo ocupa a liderança na América Latina na lista de capitais da moda. No mundo, é a décima colocada. “É um mercado em constante evolução. Exportamos não só tendências, mas também as técnicas de desenvolvimento e produção de moda”, diz Sandra Pekal, coordenadora do bacharelado em Design de Moda do Centro Universitário Belas Artes, em São Paulo. Os segmentos de moda masculina, infantil, praia e de lingerie são
os mais carentes do profissional, que é chamado para trabalhar na área produtiva, de criação de estampas, desenvolvimento de coleções e produção. O planejamento e o gerenciamento de marcas com base em pesquisas de comportamento e consumo, a criação de tendências e a gestão de materiais também são setores fortes. A capital e o interior paulistas oferecem o maior número de vagas. Na Região Sul, malharias e indústrias de calçados costumam contratar os graduados. [Fonte: Guia do Estudante]

Grade Básica do Curso de Moda

  • Fotografia
  • Desenho Artístico
  • História da Arte
  • Estilismo
  • Marketing básico
  • Antropologia
  • Técnicas de Ourivesaria ( produção de jóias )
  • Psicologia básica
  • Técnicas práticas de corte e costura
  • Desfile e Modelismo Especializações da Carreira em Moda

Especializações da Carreira em Moda

Dependendo do perfil do profissional ele pode optar pelas seguintes especializações dentro da carreira de moda:

  •  Personal Stylist: O profissional de moda personal stylist trabalha ajudando clientes específicos ( artistas, cantores, atores, modelos, etc… ) cuidando da imagem e do estilo pessoal do cliente. O personal stylist cria e combina roupas de acordo com a personalidade e tipo físico do artista garantindo que ele sempre esteja na moda.
  •  Consultor de Moda para Lojas: O profissional de moda que trabalha como consultor de lojas presta consultoria para boutiques decidindo quais roupas e quais coleções comprar para vender, tudo de acordo com o tipo da loja e o tipo de público.
  •  Estilista: O estilista, considerado por alguns o principal profissional de moda, trabalha criando e desenhando novas coleções de roupas, lançando sempre novas tendências para a Primavera, Verão, Outono e Inverno.
  • Fotografo de Moda: O fotografo de moda é o profissional de fotografia especilizado em produzir fotos de modelos masculinos e femininos. Ele pode trabalhar produzindo ensaios para revistas de moda, catálogos, anúncios de publicidade e até mesmo revistas masculinas.
  • Produtor de Desfiles: O produtor de desfiles atua como o grande gerente e responsável pela organização dos desfiles de moda cuidando de detalhes tais como organização do espaço, transporte de equipamentos e modelos e também a contratação dos outros profissionais tais como os fotógrafos.
  • Escritor de Moda: O escritor de moda atua acompanhando as tendências mundiais de moda e escrevendo matérias para revistas ou então blogs.[Fonte: Guia de carreira.]

Salário inicial: a partir de R$ 1.000,00 (assistente de estilo); R$ 2.500,00 (estilista); fonte: profa. Valeska Fonseca Nakad, do Belas Artes. [Fonte: Guia do Estudante]

Carreira em Moda: Aspectos Favoráveis

Além dos trabalhos tradicionais como estilista, a demanda por consultores de moda está crescendo bastante devido a expansão e sofisitacação do mercado Brasileiro.
Artistas, políticos e personalidades estão também procurando muito por personal stylists, hoje em dia é praticamente obrigatório que cada artista tenha o seu.
A cidade de São Paulo, o grande polo da moda Brasileiro, atualmente é o local com maior número de vagas para profissionais de moda graduados.

Carreira em Moda: Aspectos Desfavoráveis

O grande aspecto desfavorável da carreira de moda é o mesmo aspecto que persegue todas as carreiras artísticas: não há sucesso e fama suficientes para todos os
profissionais, somente alguns vão passar a ser reconhecidos e ganhar rios de dinheiro.
Outro aspecto desfavorável é a grande competição na carreira de estilista, o profissional tem que ter muito estilo, criatividade, personalidade e trabalhar duro para
garantir o seu lugar ao sol.[Fonte: Guia de carreira.]

 

Guia de profissão- Fotografia:

Curso:
Há apenas dois bacharelados no país. Os cursos dão ênfase à fotografia digital, sem abandonar o estudo sobre os processos analógico e fotoquímico. Têm boa base teórica, mas muita experimentação e aulas práticas. A estrutura curricular é dividida em duas partes: fundamental e de desenvolvimento e especialização. Na primeira, o aluno conhece as principais teorias e técnicas fotográficas. Na seguinte, o estudante entra em contato com os núcleos de formação profissional, como retrato/moda, gestão de acervo, fotojornalismo e crítica fotográfica, entre outros. O estágio não é obrigatório, porém é preciso apresentar um trabalho de conclusão antes da formatura.

Duração média: quatro anos.

 

Como é a Profissão do Fotógrafo?

Fotógrafo é a designação profissional para alguém que elabora fotografias estáticas ou dinâmicas. O termo abrange atividades profissionais em campos como, por exemplo, fotografia de filmes, fotojornalismo, fotografia de publicidade, fotografia de natureza, fotografia de moda, aerofotografia,fotografia subaquática, fotografia documental, fotografia de guerra, fotografia panorâmica.

Mercado de Trabalho:

O mercado já tem muitos profissionais e as vagas são bem concorridas,principalmente no sudeste, como no Rio de Janeiro e em São Paulo mas isto não deve desanimar alguém que queira fazer este curso.Os mais qualificados são requisitados a toda hora e no mercado surgem vagas em várias áreas, sobretudo na publicitária. Jornais e revistas mantêm sua equipe de fotógrafos contratados, pois precisam deles o tempo todo. É possível trabalhar como fotógrafo social, registrando casamentos, festas e eventos ou ainda trabalhar como prestador de serviços para empresas jornalísticas, editoras de livros e agências de publicidade. Também pode atuar na edição e manipulação de imagens com ajuda de softwares de computadores. A época de eleições abastece o setor, dando oportunidades de realizar a cobertura fotográfica da campanha dos candidatos.

Onde Atua o Profissional?
Ser fotógrafo de natureza ou documentarista são apenas duas das muitas possibilidades de atuação. Há profissionais, por exemplo, que trabalham em estúdios,outros são especialistas em moda, outro em produtos, outros são especializados em Festas – como Casamento, Formatura e etc.

O que você pode fazer:
Área pericial
Documentar situações para investigações policiais e ações judiciais.

Arquitetura de interiores
Fotografar maquetes, ambientes e edifícios para publicações de arquitetura e decoração.

Banco de dados
Projetar, instalar e administrar arquivos de fotografias e material iconográfico em museus, instituições e centros de documentação.

Curadoria
Organizar e promover exposições em museus, galerias, centros de documentação e informação e eventos.

Estúdio
Fotografar produtos e modelos para moda, culinária, decoração, publicidade e venda de produtos.

Fotojornalismo
Fazer reportagem jornalística e editar fotografias para jornais, revistas, agências de notícias e sites.

Restauração e conservação
Pesquisar, desenvolver e aplicar técnicas para recuperar e conservar fotografias, cromos e filmes fotográficos.

Salário Incial: de aproximadamente R$800,00 a R$2.000,00 (se caso você não é assinado em uma empresa expesifica, o seu salário depende da sua produção, geralmente fotógrafos preferem ser free-lance.)